Xô tédio! 5 Dicas de Brincadeiras com as Crianças

11 de Abril de 2018

Um dos maiores desafios para os pais hoje em dia é ter tempo para brincar com as crianças em casa. Nós da Estrela, acreditamos que momentos de interação entre pais e filhos são muito importantes.

Antigamente não existiam muitos brinquedos e quando as crianças queriam se divertir, elas precisavam usar a criatividade. Brincadeiras como amarelinha, esconde-esconde, pipa, entre outras, faziam o maior sucesso entre as crianças, além é claro de ajudar no desenvolvimento. Hoje com a diversidade de brinquedos, eletrônicos ou não, fica cada vez mais distante da realidade das crianças as chamadas brincadeiras de rua, porém, estamos aqui para te ajudar a resgatar essas atividades com elas!

Com o objetivo de incentivar a proximidade entre pais e filhos, vamos falar das brincadeiras que hoje não são mais tão populares, mas que marcaram muitas gerações.

Vamos espantar o tédio e se divertir?

Quais tipos de brincadeiras posso fazer em casa com as crianças?

Sabemos que as crianças têm energia de sobra, e que tal ajudá-las a gastar tudo isso?

A seguir 6 ideias de brincadeiras de rua para desconectar a criançada e espantar o tédio nos finais de semana e férias. Vamos dar asas à imaginação dos pequenos?

Amarelinha

Essa é uma brincadeira que pode ser feita em qualquer lugar, no quintal, na calçada ou até mesmo no chão do apê. Basta pintar o chão com giz ou usar uma fita adesiva, para não ter sujeira.

O desenho é feito com quadrados e retângulos que devem ser intercalados sempre 1 e na sequência 2, 1 e na sequência 2, até que se complete 10 quadrados. Cada quadrado (casa) deverá ser numerado de 1 a 10. 

Quando a amarelinha estiver desenhada no chão e numerada, desenhe no topo uma forma oval onde deve-se escrever ‘Céu’. Veja um modelo abaixo:

Amarelinha

Para jogar, fique atrás da linha do início do traçado – do lado oposto à palavra ‘Céu’ – e atire o marcador, que pode ser uma pedrinha, o próprio giz usado na confecção da amarelinha ou qualquer outro objeto pequeno, devendo acertá-lo no limite da casinha (quadrado) que não poderá ser pisada, começando pelo número 1.

Em seguida pula, em um pé só nas casas isoladas e com os dois pés nas casas duplas, evitando a que contém a pedrinha.

Chegando ao céu, pisa com os dois pés e retorna pulando da mesma forma até a casa que contém o marcador, onde o jogador pega-o do chão, sem perder o equilíbrio, e pula de volta até o ponto de partida. Não cometendo erros, joga a pedrinha na casa 2, repetindo todo processo.

O marcador deve ser jogado conforme a sequência de número, ou seja, primeiro no número 1, depois no número 2 e assim sucessivamente.

Ganha quem terminar de pular todas as casas primeiro, e quem não errar a mira e tiver mais agilidade para pular sem pisar no local proibido, que é onde a pedrinha está.

Além de ser uma brincadeira muito descontraída, ela é muito desafiadora, pois a criança desenvolve agilidade e coordenação motora.

Esconde-esconde

Essa é uma das brincadeiras mais tradicionais e é muito divertida. Ela tem uma dinâmica muito simples, basta escolher uma das crianças para contar até certo número combinado com os participantes com os olhos fechados, enquanto as outras se escondem.

Crianças Brincando de Pique-Esconde no Parque

Geralmente, o número varia de acordo com a quantidade de jogadores. Por exemplo, se forem 5 participantes, esse número deverá ser multiplicado por 10. Sendo assim, 5 x 10 = 50.

Quando terminar de contar, a criança sai para procurar as outras. Quem for visto e tocado pelo ‘perseguidor’ está eliminado do jogo.

Existem outras duas variações comuns dessa brincadeira: Pique-Esconde e Polícia e Ladrão.

No Pique-Esconde, em vez de tocar o jogador quando o vir, o ‘perseguidor’ gritará o nome dele. Os dois então correm para o ‘pique’ que pode ser um poste, uma árvore e até um canto de parede, e se o perseguido chegar primeiro estará salvo, mas se o perseguidor chegar primeiro ele estará pego e eliminado da rodada.

Os jogadores escondidos também podem tentar correr até o pique e se salvar enquanto o perseguidor não estiver olhando. Porém, o jogador só estará a salvo se gritar a frase: “1,2,3 (e seu próprio nome)”.

Já no Polícia e Ladrão é preciso um número par de jogadores, pois eles serão divididos em duas equipes, de números iguais. O pique agora passa a se chamar cadeia. Os policiais contam até certo número, considerando a mesma fórmula do esconde-esconde, enquanto os ladrões se escondem.

Quem for pego vai para a cadeia, mas pode ser libertado por algum outro membro de sua equipe se o mesmo não for pego antes. Use sua criatividade para inventar novas regras para este jogo.

Todas essas versões podem ser feitas até dentro de casa. São muito divertidas, principalmente quando a criança conta rápido demais de forma que não dê tempo de as outras se esconderem.

Bets ou Taco

Se você era uma criança que gostava de desafios, com certeza já jogou bets ou taco, dependendo da região do país. Isso por que essa brincadeira exigia muita atenção. Não podíamos deixar a garrafa ser atingida pela bola e o trabalho em equipe era fundamental.

O objetivo do jogo é completar o máximo de pontos, geralmente estipulado pelo grupo. É necessário pelo menos quatro jogadores para formar as duas duplas que competirão entre si para chegar a pontuação estipulada e ganhar a partida.

Para ensinar as crianças a jogar, siga as regras e os passos a seguir.

Você vai precisar de 2 tacos, que podem ser feitos com cabos de vassoura, uma bola de tênis, giz para marcar a base e utilizar garrafas pet, latinhas de alumínio ou também tripés feitos de madeira como “Casinha”(objeto a ser derrubado com as bolinhas).

Desenhe dois círculos com o giz no chão distantes cerca de 8 a 15 metros uma da outra. Dentro dele ficarão as “Casinhas”, onde você deverá colocar a garrafa, latinha ou tripé. À frente das bases ficam os rebatedores e atrás do limite das bases os lançadores. É feita a escolha de quem serão os rebatedores e quem serão os lançadores.

O lançador que está com a bola tenta derrubar a base oposta, e em contrapartida o rebatedor tenta impedir.

Se o rebatedor acertar a bola lançada, a dupla de rebatedores correm da base que estavam em direção a outra, trocando de posição. Toda vez que os jogadores se cruzam eles precisam bater os tacos, assim marcando um ponto.

Assim que o lançador pega a bola, os rebatedores param de correr. A dupla de lançadores precisa alcançar a bola o mais rápido possível para que a dupla oposta não faça muitos pontos.

Caso a dupla de lançadores consiga acertar uma das bases e derrubá-la, elas ganham o direito de ser rebatedores e o processo de pontuação é o mesmo.

Existem duas outras maneiras de conquistar o taco (bat, taco em inglês, origem do nome Bets em português):

  1. Caso a equipe de rebatedores rebata a bola e ela vá para trás três vezes. A famosa “três pra trás perdeu o betes”
  2. Caso a equipe que está lançando consiga pegar a bola rebatida sem que ela toque no chão. Em algumas regiões do país é preciso gritar “Vitória 1, 2, 3” para que a outra equipe perca o taco.  

Ganha a dupla que fizer o número total de pontos, estipulados no começo antes de começar a partida, primeiro.

Pular corda

Essa é uma brincadeira que pode ser individual ou em grupo.

Na modalidade em grupo, é preciso pelo menos 3 participantes. Cada participante segura de um lado da corda e o terceiro é quem irá pular. Há a possibilidade de amarrar um lado da corda em uma árvore ou poste, podendo assim brincar em só 2 pessoas. O correto é bater a corda em círculo de forma ritmada enquanto a criança pula, assim que ela tocar no chão.

Crianças Brincando de Pular Corda

Para ficar ainda mais divertido, você pode variar as canções e a quantidade de pulos. Uma dica de canção, é a clássica:  

“Um homem bateu em minha porta e eu abri.

Senhoras e senhores ponham a mão no chão.

Senhoras e senhores pulem num pé só.

Senhoras e senhores dêem uma rodadinha e vá pro olho da rua” – Esse é o momento em que a criança tem que sair da corda sem encostar nela.

Para os mais experientes, que tal adicionar 2 cordas na hora de pular? É só bater uma no sentido horário e outra no sentido anti-horário. Desafie-se!

Queimada

Para jogar, divida o espaço em dois campos do mesmo tamanho demarcados com um giz e tenha uma bola macia, que pode ser feita com meias. Faça uma área retangular no fundo de cada lado do campo, onde será o cemitério.

Divida os participantes em dois times. O jogo começa quando um lançador atira a bola em direção a um dos jogadores do time adversário, se este for atingido pela bola estará fora do jogo e deverá ir para o cemitério do time oposto.

Caso alguém do time adversário conseguir segurar a bola, sem deixá-la cair no chão, quem vai para o cemitério é o lançador.

Se a bola lançada bater no chão antes de atingir alguém, a posse de bola passa para o time adversário atacar. Caso algum jogador ultrapassar os limites do campo tentando fugir da bola será eliminado.

Quando a bola é lançada até o cemitério, os jogadores que estão lá podem atacar o time adversário.

Você sabia? Nos Estados Unidos existem ligas de queimada, ou dodgeball, como é chamado esse esporte por lá.

No Brasil, as regras adotadas são parecidas com as do prisonball americano, onde os jogadores eliminados ficam atrás da linha de fundo do campo popularmente chamada de “cemitério”. Nos EUA possui muitas denominações, dentre elas prisão, de onde vem o nome da variante: “prisonball”.

Embora menos conhecido, o dodgeball americano em si também é jogado no Brasil, mas com o nome de “Queimada Maluca”. Nesta variante não há a área para os jogadores eliminados, mas eles voltam ao jogo um a um cada vez que algum jogador de sua equipe intercepta um arremesso no ar. Além disso, é jogado com múltiplas bolas.

Estas são nossas 5 dicas para desconectar-se dos eletrônicos e reconectar-se com sua família através das Brincadeiras Antigas de Rua.

Mas lembre-se de delegar as escolhas à criança. Deixe ela selecionar os brinquedos e as Brincadeiras, pois ELA é a prioridade e não você! Então, delegue o direito de escolha da Brincadeira do dia ao seu filho.

Essa atitude ajuda a criar um senso de responsabilidade e confiança entre os membros da família. Mas é claro que é preciso fazer escolhas que tenham coerência e sejam minimamente agradáveis a todos.

Outro ponto positivo das Brincadeiras é derrubar as hierarquias sociais. Não existe pais e filhos, todos são jogadores ou participantes, certo? Por isso nada de querer se impor, mudar regras, usar sua experiência a seu favor ou mostrar-se extremamente competitivo. Lembre-se que o objetivo é curtir esse momento com seu filho!

Lembrando sempre que é importante não conduzir o jogo a favor da criança. Essa conduta não favorece o seu crescimento. Então faça seu filho se esforçar ao máximo para ganhar o jogo e se mesmo assim ele perder, aproveite para ensiná-lo sobre valores como respeito ao oponente, como enfrentar as adversidades e ser persistente para conseguir atingir objetivos.

Isso contribuirá a longo prazo para a formação de um adulto feliz, saudável, equilibrado e com uma bagagem cheia de lembranças inesquecíveis.

E que tal dividir suas experiências conosco? Deixe nos comentários suas ideias e quais brincadeiras você faz com seus filhos.

Boa sorte para os papais e mamães!

Deixe um comentário